Empresas de telecomunicações devem continuar pagando tributos, confirma AGU

Imprimir: Empresas de telecomunicações devem continuar pagando tributos, confirma AGU Compartilhamento: Empresas de telecomunicações devem continuar pagando tributos, confirma AGU Empresas de telecomunicações devem continuar pagando tributos, confirma AGU Empresas de telecomunicações devem continuar pagando tributos, confirma AGU Empresas de telecomunicações devem continuar pagando tributos, confirma AGU
Publicado : 12/05/2020 - Atualizado às : 16:49:40

Foto: Anatel
Foto: Anatel

A Advocacia-Geral da União (AGU) vem confirmando na Justiça a obrigatoriedade de as empresas de telecomunicações continuarem a pagar taxas e impostos durante a pandemia do novo coronavírus.

Várias prestadoras de serviços ingressaram com ações judiciais justificando a crise da Covid-19 para pedir a suspensão do pagamento de preços públicos e tributos cobrados pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) . Nos últimos dias, ao menos sete ações foram propostas por empresas de telecomunicações e sindicato do setor, mas todas foram negadas pela Justiça. 

A AGU argumenta que não existe previsão legal para suspender esse tipo de pagamento e que, portanto, a questão não pode ser decidida por via judicial. “Apenas a lei pode estabelecer as hipóteses de exclusão, suspensão e extinção de crédito tributário ou a dispensa ou redução de penalidade, sob pena de violação ao princípio da legalidade tributária, não havendo, portanto, espaço para o pleito das prestadoras”, explica a Coordenadora de Contencioso Judicial da Procuradoria Especializada junto à Anatel, Júlia de Carvalho Barbosa Costa.

Outro argumento defendido pela AGU é de que a União precisa desses recursos para manutenção de programas sociais de combate ao coronavírus.

O número elevado desse tipo de ação tem levado os Procuradores Federais a atuarem de forma preventiva, ou seja, se manifestando antes de o juiz analisar o pedido das empresas. 

Decisões 

O Judiciário vem acolhendo os argumentos da AGU e entendendo que a pandemia não pode servir, por si só, de fundamento para o não pagamento de obrigações tributárias ou contratuais. O entendimento é de que as cobranças já tinham sido previstas e as empresas tiveram tempo para planejar o pagamento. Além disso, como a crise do coronovírus é recente, não se pode falar ainda de impactos negativos no setor. Pelo contrário, o serviço de telecomunicações tende a ter aumento da demanda em razão da atual situação de estímulo ao distanciamento físico e a permanência em casa.

Atuaram nos casos, a Procuradoria Federal Especializada junto à Anatel (PFE/Anatel) e as Procuradorias Regionais Federais da 1ª e 2ª Região (PRF1 e PRF2), unidades da Procuradoria-Geral Federal, órgão da AGU.


 
« Notícia anterior
 
Próxima notícia »