AGU defende no Supremo lei que incentiva participação feminina nas eleições

Imprimir: AGU defende no Supremo lei que incentiva participação feminina nas eleições Compartilhamento: AGU defende no Supremo lei que incentiva participação feminina nas eleições AGU defende no Supremo lei que incentiva participação feminina nas eleições AGU defende no Supremo lei que incentiva participação feminina nas eleições AGU defende no Supremo lei que incentiva participação feminina nas eleições
Publicado : 05/07/2018 - Alterado : 06/07/2018

Foto: brasil.gov.br
Foto: brasil.gov.br

A advogada-geral da União, ministra Grace Mendonça, encaminhou ao Supremo Tribunal Federal (STF) manifestação na qual defende a constitucionalidade de dispositivo legal (art. 10, § 3º da Lei nº 9.504/97) que obriga os partidos políticos a reservar para cada sexo no mínimo 30% e no máximo 70% das candidaturas a deputados.

A norma é questionada em ação (ADI nº 3986) movida pelo Partido Social Cristão (PSC). A legenda alega que o texto afronta o princípio da isonomia entre homens e mulheres.

No documento enviado ao STF, contudo, a advogada-geral explica que, na realidade, a lei prestigia a isonomia ao garantir um percentual mínimo de candidaturas de mulheres, tradicionalmente excluídas da esfera política. “O legislador adotou mecanismo necessário à equalização da participação política, com vistas à consecução da igualdade material. Isso porque a finalidade da lei é reduzir a disparidade existente, no âmbito político, entre homens e mulheres, de forma a se aproximar o máximo possível da igualdade material”, defende Grace em trecho da manifestação.

A advogada-geral lembra, ainda, que diversos países adotam regras semelhantes para garantir a participação feminina nas eleições. “Tem-se, portanto, legítimo instrumento de redistribuição de poder a partir de parâmetros mínimos de equidade e universalidade na participação política”, conclui.

A ação – que ainda não tem data para ser julgada – está sob relatoria do ministro Luiz Fux.

Raphael Bruno


 
« Notícia anterior
 
Próxima notícia »