Novas Indexações da Revista da AGU

Imprimir: Novas Indexações da Revista da AGU Compartilhamento: Novas Indexações da Revista da AGU Novas Indexações da Revista da AGU Novas Indexações da Revista da AGU Novas Indexações da Revista da AGU
Publicado : 09/01/2018 - Atualizado às : 15:19:41

Prezados(as) membros da comunidade Jurídica, a Escola da AGU tem o prazer de informar que a versão eletrônica da Revista da AGU, ISSN-L 1981-2035 e 2525-328X, foi cadastrada e indexada no Portal de Periódicos – CAPES e no OASISBR .


A indexação, em pelo menos duas bases, é um dos requisitos da CAPES (Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior) para se calcular o fator de impacto no processo de classificação dos periódicos, para possibilitar o acesso à produção científica mundial, atualizada e de qualidade.
A Revista da AGU, a caminho de uma classificação superior (B1, A2 e A1, já está cadastrada nas bases de indexação RVBI, IBICT, DIADORIM, LATINDEX, Google Acadêmico, no ACADEMIA.EDU e, agora Portal de Periódicos – CAPES e no OASISBR).
 
- O  Portal de Periódicos é uma ferramenta fundamental para as atividades de ensino e pesquisa no Brasil. Veja algumas vantagens que ele oferece ao público usuário:
Facilidade de acesso à informação científica: o Portal de Periódicos reúne em um único espaço virtual as melhores publicações do mundo. Com uma simples consulta feita pelo computador, usando critérios como autor, assunto ou palavra chave, é possível acessar, selecionar e recuperar as informações desejadas.

Acesso a conhecimento atualizado: os artigos, livros e patentes que acabaram de ser publicados nos Estados Unidos, Ásia e Europa podem ser recuperados em tempo real por meio do Portal de Periódicos. São informações confiáveis e de alta qualidade, que permitem que o professor, pesquisador ou aluno fique sempre atualizado e produza trabalhos em sintonia com o melhor da produção científica mundial.

Democratização do acesso à informação: com o Portal de Periódicos, um pesquisador vinculado a uma instituição de ensino superior na Amazônia tem acesso ao mesmo conhecimento que os colegas no Sul e Sudeste do Brasil e também dos concorrentes no exterior. Trata-se, na verdade, do portal de bibliotecas com a maior capilaridade do mundo, cobrindo todo território brasileiro! Além disso, a centralização das assinaturas pela Capes possibilita economias de escala na negociação dos valores junto aos editores internacionais. Ganha, com isso, a sociedade brasileira, que paga bem menos para financiar a produção científica nacional.

Inserção internacional do conhecimento científico: ao utilizar o Portal, o pesquisador tem acesso direto à produção dos autores, periódicos e sociedades internacionais mais conceituados da sua área. Isso garante densidade à sua produção acadêmica. Conhece ainda o funcionamento da Ciência Mundial dentro da sua área de atuação. Essas informações são fundamentais para que ele também divulgue melhor a sua produção e passe a ser reconhecido internacionalmente.

 


 
« Notícia anterior
 
Próxima notícia »