AGU em Varginha promove debate sobre fiscalização de contratos de terceirização

Imprimir: AGU em Varginha promove debate sobre fiscalização de contratos de terceirização Compartilhamento: AGU em Varginha promove debate sobre fiscalização de contratos de terceirização AGU em Varginha promove debate sobre fiscalização de contratos de terceirização AGU em Varginha promove debate sobre fiscalização de contratos de terceirização AGU em Varginha promove debate sobre fiscalização de contratos de terceirização
Publicado : 01/12/2017 - Atualizado às : 14:18:33

Imagem: freepik.com
Imagem: freepik.com

A Procuradoria-Seccional Federal de Varginha (MG) – unidade da Advocacia-Geral da União (AGU) – realizou o 3º Encontro Sul Mineiro para o debate e aprimoramento da fiscalização de contratos de terceirização e da atuação judicial no tema.

O encontro teve como objetivo discutir formas para ampliar a eficiência na fiscalização de contratos de terceirização celebrados por entidades federais e no respeito aos direitos trabalhistas dos empregados, bem como uniformizar a metodologia de atuação judicial uniformização, divulgar e compartilhar iniciativas entre as instituições.

O evento contou com a participação de procuradores federais e servidores da AGU das cidades de Alfenas, Lavras e Varginha. Participaram também 16 servidores de diversas instituições federais do sul de Minas Gerais, como a Universidade Federal de Alfenas (Unifal), a Universidade Federal de Lavras (Ufla), o Instituto Federal do Sul de Minas (Ifsuldeminas), o Centro Federal de Educação e Tecnologia de Minas Gerais (Cefet-MG) e o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT).

A procuradoria já planeja realizar um novo debate sobre o tema no primeiro semestre de 2018. O procurador federal Galdino Dias, um dos organizadores, destacou a importância da atuação conjunta da AGU e das instituições federais do sul de Minas para a preservação dos direitos dos trabalhadores e a redução dos gastos públicos. “A fiscalização adequada dos contratos de terceirização pelos entes federais é fundamental para a proteção dos direitos dos empregados terceirizados. E a discussão permanente de medidas para o aperfeiçoamento da nossa atuação, seja na esfera administrativa ou judicial, contribui para a proteção da categoria e para a redução dos gastos públicos com o pagamento de condenações judiciais impostas às empresas de terceirização de mão de obra”, explicou.

Luiz Flávio Assis Moura


 
« Notícia anterior
 
Próxima notícia »