Decreto presidencial enaltece importância da AGU como função essencial à Justiça

Imprimir: Decreto presidencial enaltece importância da AGU como função essencial à Justiça Compartilhamento: Decreto presidencial enaltece importância da AGU como função essencial à Justiça Decreto presidencial enaltece importância da AGU como função essencial à Justiça Decreto presidencial enaltece importância da AGU como função essencial à Justiça Decreto presidencial enaltece importância da AGU como função essencial à Justiça
Publicado : 10/08/2017 - Atualizado às : 17:05:19

Foto: Filipe Marques/AscomAGU
Foto: Filipe Marques/AscomAGU

A comemoração do Dia do Advogado, neste 11 de agosto, passa a constar no calendário oficial da Advocacia-Geral da União (AGU). A data foi declarada ponto facultativo para membros e servidores da instituição por meio de decreto assinado nesta quinta-feira (10/08) pelo presidente da República, Michel Temer.

Responsáveis pela defesa judicial e extrajudicial do Estado, os advogados públicos têm demonstrado serem merecedores de participarem das homenagens, segundo a advogada-geral da União, Grace Mendonça. “O decreto corrige uma distorção histórica, pois a AGU é a última instituição que é função essencial à Justiça a ter decretado ponto facultativo no Dia do Advogado. E isso ocorre por mérito, pela dedicação que seus membros têm na defesa das políticas públicas e do interesse coletivo”, destacou a ministra-chefe da AGU.

O decreto contempla todos os órgãos da AGU, inclusive as procuradorias-gerais Federal, da Fazenda Nacional e do Banco Central. Ficarão preservados, contudo, os serviços essenciais dos órgãos.

Na AGU existem cerca de oito mil advogados em atuação, o que faz com que a instituição possa ser considerada o maior escritório de advocacia do mundo. Cabe a eles assegurar a manutenção políticas públicas, a defesa dos interesses do Estado e a assistência jurídica aos órgãos e entidades públicas.

Segundo a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), hoje, no Brasil, há mais de 900 mil advogados regulares e recadastrados. Ainda de acordo com a entidade, a cada ano cerca de 60 mil novos bacharéis entram no mercado de trabalho. Mas a escolha pela profissão, segundo a OAB, exige muito estudo e dedicação.

Para Jussara Oliveira, advogada da União na PU/PR, a profissão é muito gratificante e motivo de orgulho. Ela descobriu a vocação cedo. “Desde pequena era muito eloquente e incisiva em minhas colocações e meu pai me chamava de advogada. Daí surgiu a escolha do curso. Gostei desde o começo e ficou comprovado que meu pai tinha razão”, diz.

Há também quem escolhe o curso por afinidade, e a paixão vem com o tempo. Foi assim com Natan de Oliveira, procurador federal da PFE/INSS no Mato Grosso. “Era muito novo quando fiz o vestibular, então escolhi pelo perfil do curso. Fui me encantando com o decorrer da graduação, e tenho certeza que não me realizaria tanto em outro curso como me realizei e ainda me realizo todos os dias com o Direito”, conta.

O 11 de agosto foi escolhido como Dia do Advogado para lembrar o dia da criação dos primeiros cursos de direito do país, nas cidades de São Paulo (SP) e Olinda (PE), em 1827, pelo imperador Dom Pedro I.

Assessoria de Comunicação


 
« Notícia anterior
 
Próxima notícia »