Programa de redução de litígios da AGU vence prêmio na área de gestão

Imprimir: Programa de redução de litígios da AGU vence prêmio na área de gestão Compartilhamento: Programa de redução de litígios da AGU vence prêmio na área de gestão Programa de redução de litígios da AGU vence prêmio na área de gestão Programa de redução de litígios da AGU vence prêmio na área de gestão Programa de redução de litígios da AGU vence prêmio na área de gestão
Publicado : 31/03/2015 - Alterado : 07/04/2015

Foto: prefeitura.sp.gov.br
Foto: prefeitura.sp.gov.br
Mais de 108 mil recursos deixaram de ser apresentados nos últimos três anos pela Advocacia-Geral da União (AGU) nos tribunais regionais federais e Superior Tribunal de Justiça (STJ). No período, a desistência e a abstenção dos instrumentos processuais para recorrer de decisões se consolidaram por meio do programa de Redução de Litígios e de Aperfeiçoamento da Defesa Judicial da União. O projeto esta entre os vencedores do 19º concurso Inovação na Gestão Pública Federal.

O coordenador do programa, advogado da União Niomar de Sousa Nogueira, considera que o programa chegou às primeiras colocações do concurso e razão da "efetiva e impactante" alteração da forma de atuação da Procuradoria-Geral da União e das Procuradorias Regionais da União. "Foi demonstrado realmente que houve uma inovação, uma mudança radical no comportamento dos colegas advogados da União em todo o país, deixando de recorrer em várias situações que recorríamos ordinariamente", atesta.

O coordenador também destaca o reconhecimento do concurso para a atuação da AGU além da competência técnica e jurídica. "Não víamos um órgão de advocacia, seja no âmbito federal, estadual e municipal, com essa preocupação de gestão, de verificação do alcance de sua atividade fim, para ter uma atuação mais efetiva", ponderou Niomar Sousa. Ele acrescenta que o projeto concede autonomia ao advogado da União para analisar um caso e, sem burocracia, fazer valer o seu conhecimento jurídico e aplicá-lo quando considerar que é possível a dispensa do recurso.

Fundamentos

A redução de litígios da União somente no STJ representa uma economia de quase R$ 25 milhões aos cofres públicos, levando em conta que as ações deixaram de tramitar até o último recurso possível. "É uma atuação de excelência de um programa desenvolvido e executado não só para o bem da AGU e do Judiciário, mas da própria sociedade que vê o seu direito reconhecido mais cedo e, com isso, a questão fica pacificada", explica Niomar Sousa sobre os benefícios da iniciativa.

As hipóteses para desistência e abstenção de recursos são várias. A AGU deixa de recorrer, por exemplo, em caso de aplicação de Súmula do STJ que dispensa a apreciação de recurso que trata de questão que não foi devidamente questionada no Tribunal Regional Federal de origem. Outra hipótese é a discussão sobre fato, o que não ocorre no âmbito dos tribunais superiores, que somente apreciam matéria jurídica.

Segundo a coordenação do programa de redução de litígios, toda vez que um recurso repetitivo é julgado e é contrário à tese da União, imediatamente a Procuradoria-Geral da União expede uma orientação normativa aos membros da AGU para evitarem o recurso. "Isso melhora nossa credibilidade perante o Judiciário e os advogados têm mais tempo para se dedicar àquelas questões que merecem um estudo mais profundo", avalia Niomar Nogueira.

A desistência e a abstenção de recursos são autorizadas pelas Portarias assinadas pelo Advogado-Geral da União nº 260/2012, específica para STJ, e nº 227/2014, para atuação nos tribunais regionais. A normativa prevê estudos e análises dos objetos das ações para as unidades da AGU recorrerem apenas em casos em que há perspectiva de vencer a causa.

Prêmio

A classificação dos 10 primeiros colocados no concurso será conhecida no próximo dia 7 de abril, em solenidade na sede do Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão, em Brasília/DF. Os cinco primeiros serão agraciados com participações em missões técnicas internacionais no Canadá, França e Noruega. O prêmio tem apoio das embaixadas dos países. Os demais vencedores poderão participar de curso de Desenvolvimento Gerencial realizado pela Escola Nacional de Administração Pública (Enap).

De acordo com a organização do Concurso Inovação, a premiação dos projetos tem como objetivo estimular a implementação de inovações de gestão em organizações do governo federal e disseminá-las, de modo a valorizar os servidores públicos que atuam de forma criativa.

Wilton Castro

 
« Notícia anterior
 
Próxima notícia »